segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

I'm number two, so no use trying harder.


Haverá lei mais universal que rei forte morto, rei fraco posto? Líder forte, líder para queimar? Salazar, Caetano, por exemplo. O sucessor pode ser forte, mas não vingará se cair na fraqueza de aceitar ser o senhor que se segue. Alguém aceitará suceder um dia a Pinto da Costa? Se for bem sucedido, será o primeiro. Não porque esteja escrito na pedra, que a pedra pode ser espatifada por quem saiba ao que vai. Mas porque está escrito no céu, e ninguém é tão forte que consiga espatifar o céu. Líder forte, líder para queimar. Pedimos desculpa por esta duração, a interrupção segue por mais uns momentos. Até aparecer o verdadeiro sucessor, vindo da cabine de maquilhagem.
Mas o que pensa o senhor que se segue? Pensará it's a dirty job, but somebody's got to do it? Aceitará por espírito de missão? Achará que é a sua única oportunidade? Saber-se-á a abrir o caminho ao verdadeiro sucessor, e fá-lo-á de livre arbítrio? Ou alimentará ilusões? Falem, falem, mas eu serei o primeiro segundo a continuar primeiro?
Declaração de desinteresse: Seguro não me interessa minimamente. Irrita-me, claro, como a toda a gente, menos porventura a Guterres, seu ex-patrono e conterrâneo, e a um ou outro familiar. Mas não me irrita o suficiente para lhe achar interesse, como Santana ou Luís Filipe Menezes. Seguro e a sua sina só me interessam como caso de estudo. Pode um ex-líder duma jota chegar a líder do maior partido da oposição? Pode, já pôde. Duas vezes. Pode um ex-líder duma jota chegar a PM? Pode, já pôde. Uma vez. Pode uma tragédia destas repetir-se sem que ninguém faça nada? Não pode, mas pode ficar mais um bocadinho a fazer de milho para os pardais. Costa vem já a seguir, e Seguro fica furioso, e acha que Costa tem sido um bom presidente da câmara, e convoca o congresso para antes das autárquicas, e desafia os críticos, e convoca os caciques das distritais. Mas Costa é o senhor que se segue. A Seguro, coitado, é que nunca mais ninguém mais o segue.  

1 comentário:

  1. Não é isso que diz o oráculo do regime, o Professor MRS.
    Braços

    ResponderEliminar